terça-feira, 5 de junho de 2012

Um Divã para Dois

O diretor de O Diabo Veste Prada, David Frankel, assume a direção de mais uma comédia com a Meryl StreepUm Divã para Dois (Hope Springs), que estreia nos cinemas brasileiros em 28 de setembro e acaba de ganhar trailer.


Pinga

A Alerj aprovou nesta terça-feira,5, em primeira discussão, o projeto de lei 417/11, que considera a cachaça Patrimônio Histórico Cultural do Estado do Rio de Janeiro. A proposta é assinada pelo deputado Luiz Martins (PDT), que defende a importância cultural do destilado de cana como símbolo nacional.
- Todos os países têm a sua bebida. A Escócia tem o uísque, o México tem a tequila, Cuba o rum...A cachaça é produzida desde a colonização e hoje, aqui no estado, temos uma cachaça maravilhosa, que é a de Paraty. Valorizando o nosso produto estamos valorizando a empregabilidade dessa produção e, também, a nossa cultura - disse o parlamentar. Que país é este ou melhor que estado é este? Com tanta coisa para nossos 'queridos' parlamentares pensarem e eles pensando em pinga.

Música e alegria

A  mestre de dança, canto e percussão indiana Anandita Basu, fará oito apresentações no Rio, este mês, pela primeira vez com os músicos do grupo Sangeet. O espetáculo Music of Joy (música e alegria), é organizado pela Sociedade Sahaja Yoga do Brasil, entidade fundada pela mestra espiritual Shri Mataji Nirmala Devi, indicada duas vezes ao Prêmio Nobel da Paz.  As apresentações acontecerão de hoje até o dia 13 em diversos locais no Rio de Janeiro e Niterói.  No espetáculo, o público terá a oportunidade de se transportar para uma outra realidade das mitologias e divindades hindus, viajando pela imensa riqueza das tradições da Índia através da dança tradicional e ritualística, apresentada há décadas nos templos Hindus, e pela melodia da sagrada música clássica indiana.

Mobilidade +

Começa hoje, no Rio, o evento Mobilidade + que reunir uma série de palestras púbicas que visam analisar como a mobilidade urbana permeia os mais diversos aspectos da vida cotidiana nas cidades, e quais impactos impõe sobre a vida dos cidadãos. As palestras serão no Studio X, na Praça Tiradentes, no centro.

Quando o ataque é a melhor defesa

O governador petista do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, tem pelo menos uma rigorosa certeza quando for prestar depoimento na CPI do Cachoeira: vai se manter sempre na ofensiva, jamais na defensiva.

Começam as gravações de Salve Jorge, a nova novela da Globo

Conforme noticiamos aqui no dia 26 de maio, naquele dia começaram, na Academia Militar das Agulhas Negras,  as gravações de Salve Jorge, novela de Gloria Perez. O ator Murilo Rosa publicou em seu twitter um post dizendo que foi uma experiência incrivel gravar na AMAN. O lugar é mesmo impressionante, pela organização, ordem, disciplina e grandiosidade.

http://luizclaudioalmeida.blogspot.com/2012/05/novela-de-gloria-perez-tera-cenas.html

Vida política: página por página

O ex-governador de Brasília, Joaquim Roriz, começou a pensar seriamente em escrever um livro sobre sua longa trajetória política. A obra abrangerá desde a cidade goiana de Luziânia, onde foi prefeito, passando pela Câmara Federal, pela prefeitura de Goiânia e pela curta passagem como ministro da Agricultura. Roriz recebeu o primeiro esboço da obra e está muito  animado.

Globo e Ana Maria Braga são condenadas por crítica à decisão judicial

A 2ª câmara de Direito Privado do TJ/SP condenou,  a TV Globo e a apresentadora Ana Maria Braga a indenizar em R$150 mil, por danos morais, uma juíza de Direito. A apresentadora disse, durante o programa Mais Você, que a sentença da magistrada que liberou um criminoso por bom comportamento acarretou a morte de uma mulher.  A emissora e a apresentadora alegaram que Ana Maria Braga não devia fazer parte do polo passivo da ação, pois é profissional contratada da TV empregadora, e que o comentário em questão estava imbuído de interesse coletivo e amparado no legítimo dever de informar.

Para acadêmico a alteração do gênero nos diplomas é puro populismo governamental

O acadêmico Evanildo Bechara voltou ao Rio depois de fazer uma palestra na PUC de São Paulo contando  sobre a sinuca de bico em que está a universidade  para aplicar, nos cursos que se encerram
agora este mês, o decreto que determina o emprego obrigatório da flexão de gênero para  nomear profissão ou grau em diplomas. Diz o gramático que, como a nova legislação viola princípios teóricos linguísticos, e na falta de orientação do MEC,  as escolas não sabem como proceder. 
- O  decreto anterior, do tempo de Juscelino, era mais inteligente e nada autoritário - diz Bechara.

Trocando em miúdos: O  decreto da presidente  Dilma, que tem umas cinco semanas,  obriga as universidades a, nos diplomas, colocar o gênero da pessoa que se forma. Assim, em lugar de dizer
"A USP confere o diploma de DOUTOR a fulano de tal ", agora terá de dizer:  "A USP confere o diploma de DOUTORA....", se o formando for mulher. E assim por diante.
Para o acadêmico isto se trata, na verdade,  de mero  populismo governamental, autoritarismo e  um grave erro de língua.