sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Prêmio Líderes do Brasil

Riccelli, Bruna, Alckmin, Gisele, Maria Lúcia e Marcos
A atriz Gisele Fraga prestigiou a segunda edição do Prêmio Líderes do Brasil, realizada no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo. Além dela, estiveram presentes o casal de atores, Carlos Alberto Riccelli e Bruna Lombardi, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin com a primeira dama, Maria Lúcia Alckmin, e Marcos Mendonça, ex-secretário de cultura da capital paulista.
Foto Vítor Oliveira

The Voice Brasil

A turma do The Voce Brasil passou o dia de hoje ensaiando e preparando a festa de encerramento que acontece neste domingo. Daniel revelou que amanhã vai ensaiar no Projac o pequeno show que fará durante o programa. O cantor disse ainda que o grande trunfo de seu grupo é a cantora Alma.

Pintou sujeira

Apesar do grande esforço para agradar aos visitantes na Olimpíada, Londres continua sendo classificada  como antipática, suja e cara. Entre 40 cidades incluídas na pesquisa do site TripAdvisor, a capital britânica foi a penúltima em termos de simpatia, atrás apenas de Moscou, Cancún, no México, foi campeão nesse quesito. Simpatia o Rio vai ganhar de mil, mas em limpeza, preços, segurança...

Revista de arquitetura italiana homenageia o Brasil

Esther Schattan, diretora da Ornare recebeu nesta quinta-feira, 13,  em um   almoço arquitetos e designers que prestigiaram  o lançamento da edição dedicada ao Brasil da revista italiana DDN, Designers Difusion News. A edição conta com importantes nomes do design brasileiro como irmãos Campana, Lia Siqueira, Miguel Pinto Guimarães, Oskar Metsavaht, Studio Indio da Costa, Thiago Bernardes, entre outros.
Marcaram presença no evento o diretor da DDN, Paolo Russo, os arquitetos cariocas Miguel Pinto Guimarães, Solange Medina, Ana Maria Índio da Costa, Joy Garrido e muitos  outros. A chef Célia Pessoa cuidou das delícias servidas no evento.
Fotos Geraldo Valadares

Desoneração afeta as contas públicas

Governadores e prefeitos ameaçam acampar em Brasília, isso porque o festival de desonerações do IPI acabou reduzindo o bolo dos fundos de participação dos estados e dos municípios. Resultado: existe município que não tem mais dinheiro. Prefeitos prestes a deixar o cargo estão raspando tudo e levando os cofres para casa. As perdas seriam de R$ 8 bilhões. Mas há quem estime em R$ 10 bilhões. A desoneração afetou as contas públicas.

Gastos

Os ministérios não gastaram nem 30% da verba de que dispunham para este ano, a exceção foi do  Ministério da Previdência, que é obrigado a pagar mensalmente a 29 milhões de aposentadorias. A Previdência gastou 80%. Com isso Dilma fica sem saber o que fazer. Oh, dúvida cruel!