terça-feira, 5 de abril de 2016

Tá feia a coisa na Rede Record

Atores da novela  Escrava Mãe, nova produção da Rede Record, foram surpreendidos,   esta tarde com um aviso da emissora dizendo que a estreia da  trama foi adiada outra vez, só acontecerá em maio.

Filme São Sebastião do Rio de Janeiro estreia nos cinemas em maio

O filme, "São Sebastião do Rio de Janeiro, a formação de uma cidade", de Juliana de Carvalho, que estreia nos cinemas em maio, conta a história da formação dessa cidade, perseguindo seus vestígios arquitetônicos e reformas urbanas que a forjaram e ao povo que nela vive.  São Sebastião do Rio de Janeiro, fundada em 1565 entre os Morros Cara de Cão e Pão de Açúcar, capital do Brasil por 196 anos, é conhecida por seus encantos naturais e seu espírito libertário. Uma cidade fundada na paisagem que encarna como poucas o sonho da metrópole tropical. O documentário de 90 minutos conta a história dos 450 anos da cidade do Rio de Janeiro, pela ótica da evolução de seu urbanismo, através de ricos depoimentos de especialistas e de imagens, narração, iconografia inédita e computação 3D.

Novo perfume

Nadine Gonzalez e Andrea Fasanello, Fundadoras da Casa Geração Vidigal e idealizadoras do projeto Moda Fusion, tem novo parceiro no segmento da perfumaria.  Do casamento entre a Casa Geração Vidigal, uma escola de moda voltada para a inserção profissional de jovens no universo fashion e da Firmenich, a maior empresa privada do mundo no negócio de fragrâncias e aromas, nasce um novo conceito de perfumaria. De forma inusitada,  as marcas conectam a pluralidade de 20 jovens talentos e a expertise da perfumista francesa, Carmita Magalhães, que tem como cenário inspirador a comunidade do Vidigal, para criar um novo perfume polisex, para o mercado brasileiro. O lançamento do perfume acontece nesta quinta-feira, 7, na Casa Geração, no Jardim Botânico, Rio.

Rock in Rio vai plantar um milhão de árvores na Amazônia

Nesta segunda-feira, o Rock in Rio realizou o lançamento do Amazônia Live - Projeto Social do Rock in Rio para todas as edições do festival até 2019. Foi apresentada uma grande campanha de mobilização que incentiva a população a abraçar a causa, sob o mote "Mais do que Árvores, Vamos Plantar Esperança". O encontro contou com artistas, formadores de opinião e parceiros.

Segundo a Rede Amazônica de Informação Socioambiental Georreferenciada (Raisg), de 1500 a 1977, certa de 4,7% da Amazônia foi desmatada. Só nos últimos 36 anos, este número subiu para 18%. Até 2013 o Brasil perdeu, segundo a Raisg, 632 mil km2 de florestas. O desmatamento afeta o clima e o equilíbrio das chuvas. Afeta diretamente quem está perto e também quem vive bem longe da floresta. E o que o Rock in Rio tem a ver com isso? Tudo.

Para o Rock in Rio, a música é uma linguagem universal que une pessoas em todo o mundo através da emoção e é uma importante plataforma para causas socioambientais. O pilar de sustentabilidade do festival — Por Um Mundo Melhor — foi criado em 2001 e já beneficiou milhares de pessoas no Brasil, Portugal, Espanha, Estados Unidos e em diversos outros países. Os investimentos são provenientes da venda de ingressos e de ações promovidas junto aos parceiros. Agora, a organização do festival inicia um movimento global que ajudará na restauração florestal da Amazônia e que tem como objetivo maior chamar a atenção das pessoas para a importância do consumo consciente dos recursos naturais do planeta e convoca-las a serem agentes ativos no combate às alterações climáticas através da sua própria mudança de comportamento.

A região da Amazônia é estratégica, pois abriga a mais importante reserva de biodiversidade do mundo, com papel fundamental na redução do impacto do aquecimento global. A ação vai restaurar áreas desmatadas nas cabeceiras e nascentes do Rio Xingu.