sábado, 9 de julho de 2016

De Teofilândia para a telinha

Se com apenas uma participação em Velho Chico, de Benedito Ruy Barbosa, a atriz Rosirene Visitação já virou celebridade em sua terra natal, Teofilândia,  no interior da Bahia, o que dirá agora que ela irá aparecer novamente por conta da cooperativa de Santo (Domingos Montagner) na trama globo. Rosirene, que já estava de malas prontas para voltar a Bahia, está muito feliz com o convite, principalmente por se tratar de um assunto ainda tão polêmico. . ''É uma honra fazer uma produtora rural, ainda mais numa novela com a temática da terra. Nasci de parteira em casa, na área do Sisal. A terra está em minhas mãos.  Tem muito Saruê (o coronel interpretado por Antonio Fagundes) espalhado por aí. Para compor o personagem me inspirei na minha tia Brigida, que faleceu há um ano. Ela não tinha rabo preso com nada. Falava tudo o que achava'', diz a atriz.  Foto Vivian Fernandez

Felicidade incurável

Numa das 115 crônicas do novo livro, Carpinejar escreve sobre o superpoder que ele considera que todas as pessoas têm, seja uma virtude disfarçada de defeito, algo que não se goste, uma característica que transforma a existência ou um trejeito que revela a personalidade. No texto, ele lembra de amigos da infância, da adolescência, fala dos filhos, escreve sobre a esperança, a paciência e a fé. Carpinejar também tem seus superpoderes: falar e escrever sobre o amor, despertar a empatia, conquistar fãs com suas tiradas sobre comportamento e vida, ser onipresente nas redes sociais, escolas, programas de TV, auditórios e onde haja uma plateia disposta a rir, chorar e se emocionar com suas palavras.

Neste “Felicidade incurável”, o leitor se deleitará com textos sobre as mulheres, mães e pais, filhos, separação, maturidade, brigas, ciúme e até sobre como é preciso, hoje, o casal fazer juramentos na vida real e na virtual. “É preciso ser fiel e leal na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, mas também no Facebook, no WhatsApp, no Skype, no e-mail, no Twitter, no Instagram...”, alerta Carpinejar, calejado em relacionamentos, excelente observador e cronista.

Frasista de primeira, é o próprio poeta quem escreve a orelha da obra, onde confessa estar sempre feliz, mesmo diante de qualquer adversidade: “Não fiquei amargo com o tempo, fiquei apenas mais puro: bebo a vida sem açúcar.” Autor Fabricio Carpinejar  -  272 Páginas - Preço R$ 29,90 Editora: Bertrand Brasil / Grupo Editorial Record