quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Projeto Criolice homenageia Luiz Carlos da Vila

O Projeto Criolice  faz no próximo domingo,  15, a partir das 15h,   um Tributo a um dos maiores gênios do samba brasileiro , o poeta Luiz Carlos da Vila. O evento, que acontece no Parque de Madureira, na Arena Fernando Torres, vai contar com a presença de familiares e amigos do compositor.

Enquanto não estreia no Teatro, Aline Riscado aproveita dia de praia

Entre um ensaio e outro da peça Jogo do Amor, que estreia dia 13, no Teatro do Leblon,  Aline Riscado aproveita para dar um mergulho na Praia da Macumba, no Rio. Assim como na vida real, ela e o namorado Felipe Roque viverão, em Jogo do Amor,  um casal romântico. A peça tem direção de Carlos Bonow  e fica em cartaz até março. Fotos Ag News


Sophia Abrahão em tarde de autógrafos

Sophia Abrahão  participou, nesta terça-feira, 10,  da tarde  de autógrafos da linha de produtos de papelaria,  naLepok Alphaville, em São Paulo.
Foto Francisco Cepeda/AgNews

Marcos Lessa volta ao Beco das Garrafas

Marcos Lessa tornou-se conhecido quando foi semifinalista do The Voice Brasil 2013. Com sua voz potente - que impressionou Roberto Menescal, ele sobe mais uma vez ao palco do Beco das Garrafas, em Copacabana, nos dias 18 e 25 deste mês e depois, fica em cartaz todas as quartas de fevereiro, acompanhado apenas do violão de Cainã Cavalcante. O artista esteve no mesmo palco em agosto do ano passado, sempre com lotação esgotada e emocionou a plateia. Após o bis, Marcos teve dois minutos seguidos de aplausos.
Desta vez, o cearense  apresenta também músicas de Emílio Santiago, agora acompanhadas de clássicos da Bossa Nova e algumas canções de seu primeiro álbum ‘Entre o mar e o sertão’, que já está disponível em formato digital em https://onerpm.lnk.to/EntreOMarEOSertao .

Bye, Bye Trump Hotel do Rio de Janeiro

Quem passa pela Avenida Lúcio Costa, na Barra da Tijuca, já percebe que a Trump Organization, propriedade do presidente eleito dos Estados Unidos, retirou sua marca do único hotel da América do Sul que leva seu nome, o Trump Hotel do Rio de Janeiro. A empresa diz que a quebra do negócio foi motivada pela demora na construção do edifício de 171 quartos, com chão de mármore importado da Turquia e papel de parede holandês. O hotel, que custou cerca de 333 milhões de reais, foi projetado para as Olimpíadas do Rio e ainda está inacabado.